Como uma cidade na Bahia virou o centro de uma nova corrida do ouro

Uma aventura em busca de riqueza no meio do nada. Milhares de pessoas tentam a sorta em uma nova região de garimpo. O tesouro que eles buscam é um cristal de cor violeta, a ametista. A cidade de Sento Sé, no norte da Bahia, fica às margens do rio São Francisco, e bem perto da barragem de Sobradinho. Até a dois meses atrás, a economia da cidade se baseava na pesca e no cultivo de cebolas. Mas a descoberta de um garimpo de ametistas na Serra da Quixaba, a cerca de 50 quilômetros da cidade, mudou a rotina da região. Em pouco tempo, pelo menos oito mil pessoas procuraram o local do garimpo. A ametista é uma pedra semipreciosa muito usada como peça decorativa. A beleza e o valor acessível fazem com que ela também seja usada em joias. Geralmente, em peças feitas com ouro.

Criei este vídeo com o Editor de vídeos do YouTube (. Com uma engenhoca criada por ele mesmo, este brasileiro conseguiu ter acesso a energia sem precisar de uma companhia elétrica. Criei este vídeo com o Editor de vídeos do YouTube (. Acesse o Site: Curte nossa Home Page: Siga nos no Twitter: Enquanto a região Sudeste do Brasil sofre há pouco mais de um ano com a mais severa seca de sua história, algumas regiões do Nordeste, como o interior da Paraíba, enfrentam esse problema há pelo menos meio século. Durante 20 dias, a equipe do Repórter Record Investigação percorreu mais de três mil quilômetros pelo sertão da Paraíba, passando por algumas das cidades mais afetadas pela falta de água: Santa Luzia, Montadas, Boqueirão e São João do Cariri. Locais onde, sem uma gota de chuva, animais morrem e plantações secam por causa da estiagem. Lugares esquecidos nos quais famílias carentes lutam para sobreviver. A seca deixa um rastro de destruição e mata o sustento das famílias sertanejas que, sem água e sem comida, são forçadas a se separar. Marilene, uma das filhas do agricultor Damião, teve que deixara o pai para trás há 21 anos, quando trocou São João do Cariri pelo interior paulista. Ela lembra como é difícil resistir à estiagem: “Vivia na mão de Deus, tomando água suja, barrenta, cheia de bicho". Soneide, moradora de Montadas, carrega quase uma tonelada de lixo para sustentar a família, mas o pouco que ganha não é o suficiente para comprar água potável. Para ela, não há alternativa a não ser beber água encardida e escura: “Não importa não, o importante é matar a sede”. É nesse cenário que os repórteres Marcus Reis e Daniel Mota descobriram um esquema de favorecimento na distribuição de água. Só quem votou no prefeito tem acesso ao precioso líquido. Raimundo, aposentado, deficiente físico é uma das vítimas da “lista da sede” e denuncia: “Se o cara não votar no partido do prefeito não tem direito a nada".

Uma imagem causou polêmica nas redes sociais essa semana, uma foto de crianças loiras de olhos claros que pedem esmola nas ruas. A mulher que se impressionou com a beleza das crianças e divulgou as fotos nem imaginava, mas deu início a uma discussão de preconceito racial. Veja na Grande Reportagem. Confira o programa completo no R7 Play: [o quadro foi ao ar no dia 15 05 2016].

2018.03.26T02:53:36
210
299 872 Visualizações